A Paz Perpétua | Perpetual Peace ESTREIA NACIONAL | Teatro

  • Aderbal Freire-Filho
  • Juan Mayorga
  • 22 OUTUBRO A 11 DEZEMBRO - QUINTA A DOMINGO - 20H
  • Oi Futuro Flamengo

A paz perpétua arte  Fotos@NilCaniné -8100 (2)

SINOPSE

A Paz Perpétua, tradução e direção de Aderbal Freire-Filho, é uma fábula teatral do autor espanhol Juan Mayorga, protagonizada por três cachorros: Odin, Emanuel e John-John, que disputam, através de um misterioso processo seletivo, a prestigiada “coleira branca”, dada apenas à elite canina de combate ao antiterrorismo. As provas secretas são conduzidas por um quarto cachorro, Cassius, antigo portador da coleira, e também acompanhadas por um humano. A montagem brasileira dá continuidade ao projeto Internacionalização da Dramaturgia Espanhola, capitaneado pelo TEMPO_FESTIVAL em 2015. Através desta iniciativa já foi lançada uma coleção de livros de autores contemporâneos espanhóis (entre eles A Paz Perpétua, com tradução de Aderbal Freire-Filho), editados pela Cobogó, e foram promovidas leituras dramatizadas em cinco festivais brasileiros, com o objetivo de promover o interesse do público pela nova dramaturgia espanhola e de concretizar novas possibilidades de intercâmbio entre os dois países.

SOBRE JUAN MAYORGA

Filósofo e Matemático, ampliou seus estudos em Münster, Berlin e Paris. É autor de mais de cinquenta obras, entre as quais se destacam Siete hombres buenos (1989), Cartas de amor a Stalin (1997), El cartógrafo (2009), El arte de la entrevista (2014) e El Golem (2015). Sua obra ultrapassou as barreiras nacionais, tendo sido traduzida e montada nos principais teatros do mundo. Ganhou, entre outros, o Prêmio Nacional de Teatro, em 2007; o Prêmio Valle-Inclán, em 2009; o Prêmio Cares, em 2013; o Prêmio La Barraca, em 2013; o Prêmio Max de melhor autor, em 2006, 2008 e 2009, e melhor adaptação, em 2008 e 2013; e o Prêmio Nacional de Literatura Dramática, em 2013.

SOBRE ADERBAL FREIRE-FILHO

Diretor, ator e dramaturgo, criou o Centro de Demolição e Construção do Espetáculo (1989-2003) e foi membro do Conselho Diretor do Festival Ibero-americano de Teatro de Cádiz, Espanha. Coordenou a comissão que criou o Curso de Direção Teatral, da Escola de Comunicação da UFRJ. Escreveu as peças Lampião, rei diabo do Brasil (1991); No verão de 1996 (1996); Xambudo (1998); Isabel (2000) e Depois do filme (2011). Entre suas traduções e adaptações publicadas ou encenadas estão Turandot ou congresso dos intelectuais (1993) de Brecht; Luzes de boemia (2000), de Valle-Inclán; Casa de boneca (2001), de Ibsen; Hamlet (2008) e Macbeth (2010), de Shakespeare, e Na selva da cidade (2011), de Brecht. Dentre os prêmios que recebeu estão o Prêmio Molière, em 1981; o Golfinho de Ouro, em 1984; o Prêmio Shell na categoria Especial, em 1992; o Prêmio Shell na categoria Direção, em 2002, 2003 e 2013, e o Prêmio APTR, em 2006.

SERVIÇO

Oi Futuro Flamengo

Endereço: Rua Dois de Dezembro, 63 – Flamengo

Tel.: (21) 3131-3060
Capacidade: 63 lugares
De: 22 de outubro a 11 de dezembro
Horário: De quinta a domingo, às 20h

Duração: 90 minutos
Valor: R$ 30,00 (inteira) e R$ 15,00 (meia-entrada)

Classificação Indicativa: 14 anos

FICHA TÉCNICA

Texto: Juan Mayorga / Direção e Tradução: Aderbal Freire-Filho / Diretor Assistente: Fernando Philbert / Elenco: Alex Nader, Gillray Coutinho, João Velho, José Loreto, Kadu Garcia e Manoel Madeira / Iluminação: Maneco Quinderé / Cenário: Aderbal Freire-Filho / Música: Tato Taborda / Figurino: Antônio Medeiros / Projeto gráfico: Radiográfico / Assistência de Produção: Roberta Aguiar/ Produção Executiva e Fotografia: Nil Caniné / Direção de Produção: Sérgio Martins / Co-Produção: A Freire-Filho, Somart e TEMPO_FESTIVAL / Realização: Somart Produções Artísticas